51) Jair diz que deputado ganha mal

Rá te peguei!

20160304052955

Em um vídeo de + de 17 anos atrás – os esquerdistas adoram compartilhar coisas antigas – já viram aquele vídeo antigo do Lula falando bem do governo Médici? -> https://www.youtube.com/watch?v=IxYJ2y10T7A .

Jair fala que deputado ganha mal… porque?

Em 1999, o salário mínimo era R$ 136. No mesmo período, o salário de um deputado federal e um senador subiu de R$ 8,4 mil. No vídeo em questão ele fala num salário de R$ 5,0 mil + beneficios.

Parte 1 (Aos 2:55) : Vídeo Original: https://www.youtube.com/watch?v=MkBJuABRey8 (Preste atenção nas partes em caixa alta)

Jair Marchesini: “Eu conversava com o ministro Francisco Dornelli e disse que o Cogresso Nacional vota muito mal… como se fosse um jogo no Maracanã…sem nenhum fundamento.. Você acha que o congresso nacional vota muito mal?”

Jair B.: “O congresso não vota mal não… Congresso vota SEM SABER O PORQUE ESTA VOTANDO… Os governistas chegam lá, olham para a cara do seu líder… e simplesmente fazem assim (sinal positivo / negativo) e eles simplesmente votam a favor/contra… PORQUE SENÃO o deputado não vai ter como sobreviver… que ele ganha mal…a população não vai entender o que eu to falando aqui… ganha mal… mas isso não é dinheiro para governista…

…até o líder do do PMDB algum tempo atrás reclamou da necessidade de se aprovar o imposto verde (gasolina)…porque ele não continuaria votando em propostas impopulares por um ministério sem dinheiro.. o que ele quis dizer com isso? Que o ministério tem que ter dinheiro para arrumar as estradas? Não! Todo mundo quer arrumar estradas… mas ta na cara que parece que esse pessoal agindo desta maneira PARA TER DINHEIRO dos ministérios através de empreiteiras consegue muita ajuda pra campanha no futuro.”

Ele quis dizer basicamente que o pessoal vota o que o líder manda, porque daí tem dinheiro das empreiteiras para poder ganhar dinheiro para sua campanha e se reelegerem. Se ganhassem bem mais não precisariam deste dinheiro e não precisariam votar no que o líder pede sendo assim mais autônomos em suas escolhas. Evitaria assim os votos de cabresto no congresso.

Falou isso com uma causa muito boa por trás. Faz todo o sentido. Aonde está o errado?

Lembrando que quem disse que ganha igual um professor foi o Jean Wyllys: https://www.youtube.com/watch?v=d6KY6-cTjI4

6 Comentários


  1. ·

  2. ·

    1. ·

      A) 279 votaram a favor, só 35 votaram contra… mas só Bolsonaro que votou?

      B) Os defensores do aumento alegam que o último reajuste foi em 2007 e com base na inflação, que nesse período ficou menor que 20%. Para o relator o aumento foi razoável e justo: “Eu acho que nós devemos remunerar dignamente e exigir resultados positivos dos seus representantes”, disse o relator Nelson Marchezelli. (1)

      C) NENHUM político é perfeito. Mas no caso do Bolsonaro, por seu trabalho dentro da câmara, o que ele enfrenta no dia-a-dia deveria receber o triplo.

      D) O princípio defendido por Bolsonaro é justamente enxugar a política brasileira, colocando menos representantes, mas que eles ganhem bem para ter autonomia em suas decisões, não dependendo sempre dos líderes para comprá-los.

      E) Ué? Não foi o Jean Wyllis do PSOL que reclamou do seu salário e disse que recebe o mesmo que um professor? (2)

      Fonte:

      (1) – http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2010/12/deputados-e-senadores-aprovam-aumento-dos-proprios-salarios.html
      (2) – http://www.folhapolitica.org/2013/07/jean-wyllys-reclama-do-salario-que.html

      Responder
      1. Taylor Lima
        ·

        Então… Sou Bolsonaro 2018.
        Mas, não concordo que ele deva receber o triplo.
        Na verdade, acho que nenhum deles deva receber esses altos salários, nem todas essas regalias.

        A defesa do Bolsonaro deve ter um limite.

        Ele não é um santo, um mito ou um Salvador.

        Detém a Honestidade e a Honra ao seu lado, e é por isso que eu apoio ele, e vou critica-lo quando ele errar.

        #Bolsonaro2018

        Responder

  3. ·

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *