1) Bomba no exército

Bomba90

Em  setembro de 1986, o então Capitão do Exército Brasileiro, Jair Bolsonaro, concedeu entrevista à Revista Veja reclamando dos baixos salários das Forças Armadas; ficou 15 dias preso no quartel pela iniciativa. Desde então, passou a ser perseguido pela cúpula da Força, acusado de ter elaborado um plano para explodir um duto do Rio Guandú. Realizaram uma varredura regressa (para 5 anos antecessores à entrevista) em sua vida profissional e pessoal. Entretanto, o Superior Tribunal Militar (STM) o ABSOLVEU depois de longo processo e comprovação de EXAMES GRAFOTÉCNICOS que ISENTARAM Bolsonaro de ter DESENHADO tal plano. Nada foi encontrado a fim de desabonar a sua carreira ou particularidade.  A maior prova contra esta falácia é a que Jair continua até hoje sendo Capitão da Reserva do Exército Brasileiro.

Aqui você pode retirar a certidão negativa em nome do Bolsonaro. Clique em “Emitir Certidão Negativa” e entre com os dados abaixo:

http://www.stm.jus.br/servicos-stm/certidao-negativa/

Nome: Jair Messias Bolsonaro;

CPF: 453.178.287-91 ;

Data de nascimento: 21/03/1955 ;

Nome da mãe: Olinda Bolsonaro.

Exército elogiando: https://www.youtube.com/watch?v=OdZziAmEHGs

Exército (AMAN) o recepcionando: https://www.youtube.com/watch?v=MW8ME9S87SI

Fonte: http://www.familiabolsonaro.blogspot.com.br/2016/01/bolsonaro-armador-de-bomba-e-criminoso.html?m=1
29/03/16

19 Comentários


  1. ·

  2. ·
  3. Feminista esquerdista feliz
    ·

    Obrigada por nos fornecer o CPF do Bolsonaro!!! =D

    Responder
    1. Denison
      ·

      Vc tá vendo ódio gratuito ? Tem certeza? Só se for dos esquerdistas!

      Responder
  4. Carlo
    ·

    Só quero dar parabéns pela iniciativa, a esquerda é a maior doença que aconteceu neste país e abusa do poder até os dias atuais, espero que a popularidade deste site aumente para desmascarar os impostores.

    Responder
  5. Carlos
    ·

    É uma fato antigo e cheio de contradições. No entanto, é fato provado a participação do capitão, apesar de absorvido pelo STM, a PF confirmou a caligrafia do Bolsonaro. Nesse período não era raro os casos de insubordinação ocultados pelo exercito. Acreditar que isso é uma fraude é acreditar que o querido capitão é perseguido pela revista Veja desde a década de 80.

    Responder

    1. ·

      Não foi provado não, o exército não é a zona que é na política, qualquer insubordinação você é preso e é expulso. “A PF confirmou a caligrafia do Bolsonaro”, mentira, exames grafotécnicos (estudo da escrita) isentaram de ter desenhado o plano , por isso ele foi absolvido. Não começa a espalhar notícias falsas não o fake news.

      Responder
      1. Carlos
        ·

        Qual é irmão… Não tenta ocultar as coisas. Deixa o dialogo transparente.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *